sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

No estilo Irlandes de viver, me despeço!





Papai Noel de férias e mais um ano vai pra saca. Eu só tenho a agradecer a todos os "são" e malucos que visitaram, seguiram, criticaram e acompanharam meu blog. O que era para ser apenas um desabafo de um cervejeiro matreiro e de barriguinha pró, se tornou um grande prazer e uma sala de aula.
A todos os leitores, seguidores, fãs(eu não sei se tenho, mas vai que tenho) o meu muito obrigado, meu aplauso: CLAP CLAP CLAP CLAP!!!! e o desejo sincero de BOAS FESTAS!!!


Não vá prometer objetivos impossíveis tais como: "vou parar de beber"
Viva sempre o "nao vou beber mais, nem menos, mas a mesma quantidade"!!


Em especial os blogueiros: Alê a apoiadora, Arte nossa mania incrivel o tanto de acessos que vc me da, Zi a que me deve um sobrinho, Petrus Pedrim O cara que esta perto do que eu queria estar, Luiz Heleno o cara que eu um dia tentarei conversar.


BOAS FESTA E 2012 MUITO MELHOR!!! 
PÃO E CERVEJA PRA TODOS!!
DEUS ABENÇOE A TODOS!


Uhuuuu!!! 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Afinal, Papai Noel bebe cerveja?

Biercool: - Papai Noel, você roe unhas?
Papai Noel: - ho ho ho ho !!


Não perguntei mais nada, mas pensei em outro assunto: O que ele bebe?
Sem paciência para perguntar sai a caça de informações sobre o que o velho Santa Claus bebe. Com aquela barrigona, as suspeitas que de ele era mais um cervejeiro de olhar matreiro, não saia da meu mente.
Mas pouco achei sobre o assunto, alias nem ao menos descobri alguma coisa sobre o que ele bebe, quiçá o que come. Se soubesse o que comesse, pelo menos conjecturaria sobre o que ele harmoniza. Cara misterioso esse.


Será Papai Noel uma lenda? 
Não meus caros, logico que não isso eu posso afirmar com certeza.


Chafurdando na net achei o site Divino Guia escrito por um engenheiro  honesto (todos os engenheiros são honestos) a proposta de propagandear a cerveja Samichlaus Bier como sendo a cerveja do Bom Velhote. Sob argumentação dela ser fabricada uma só vez no ano, bem no dia do aniversario do cara do trenó (06/12 - Dia de São Nicolau) blá blá blá...infelizmente não me convenceu. Não por arrogancia, apenas porque achei a tal resposta fácil demais. 


Tinha que chafurdar mais fundo....


Passei pela cervejas Baladin Noel, Delirium Noel, Kerst Pater Special Christmas, Santas Little Helper 2009, Tongerlo Christmas, Baden Baden Christmas Beer, Tucher Christkindlesmarkt Bier, Leffe Bière de Noël - Kerstbier, Bocq Christmas, De Ranke Père Noël, De Dolle Stille Nacht, Anchor Christmas Ale e por ai a fora vai e uma lista enorme. 
Tem muitas cervejas que como as citadas, são temáticas. Mas nada me agradou ou me convenceu de ser "A CERVEJA DO PAPAI NOEL"....Até que encontrei essa belezura:




Pronto, chafurdei e cheguei ao fundo do poço.




Essa cerveja "Bunda do Papai Noel" tem que ser a própria cerveja do cara. Sei que muitos nunca ouviram falar ou sequer imaginavam que Papai Noel tinha bunda e cerveja, mas ELE TEM! Alguns acharão uma aberração e outros tantos como eu, irão cobiçar(a cerveja e não a bunda). Ops! Cobiça não é coisa de gente comportada. E mal comportamento é passível de "não recebimento de presentes natalinos". 


Mas afirmo que essa cerveja existe. Trata-se de uma Porter com 6% ABV produzido pela Ridgeway Brewing na Inglaterra.


Você meu camarada, que se comportou o ano todo, e acredita na "Bunda do Papai Noel" pode ter uma na sua geladeira.
Essa Inglesa já foi proibida em muitos estados Norte Americanos. Aqui no Brasil com certeza teria espaço garantido, porque em nenhum país do mundo, bunda e cerveja é tão divulgado.





domingo, 18 de dezembro de 2011

Brinde com cerveja - Amo isso, ameninades

Você amigo cervejeiro de olhar matreiro e barriguinha pro
Você amigo leitor, que como eu não cai nessa e vinho, espumante e afins viniculados. Para aqueles que recebem olhares tortos tipo: Vai brindar com cerveja no natal??
SIM caros colegas, cerveja rules!!!
Venho aqui apresentar algumas cervejas pra lá de popoluxas para você brindar ou presentear, nesse natal e não fazer feio.
Existem cervejas champanhadas que além de serem tipo "dedo no nariz" para tal situação, podem também impressionar seus familiares e amigos, e que além disso trazem a sua goela um sabor assaz agradável AND deixa no chinelo aquele vinho metido a besta o qual seu cunhado ou tio velho irá levar. Até mesmo se for você é o tio velho ou cunhado maldito que sempre aparece com um vinho argentino para impressionar. Se alguém ler essas dicas, você meu camarada, você tá na bosta. Não vai impressionar nadica.


Vamos às dicas de garbo e elegância:


Lust Prestige
A Eisenbahn Lust Prestige é feita pelo método champenoise. Depois da fermentação pelo método convencional, a cerveja segue para uma vinícola, onde passa por uma segunda fermentação dentro da garrafa. Logo após, a Lust Prestige entra na etapa chamada cuvèe, que no seu caso dura um ano. Com isso, apresenta paladar mais seco e aromas amanteigado, de brioche e tabaco.


Wals Brut
A minha queridinha. A cervejaria que eu amo.
A cerveja Wäls Brut que chega em suas mãos é uma cerveja que descansou por nove meses em adega climatizada. Todo o tempo de Remuage (45 dias initerruptos girando as garrafas a 45 graus, duas vezes ao dia, no mesmo horário) foi cronometrado. O processo de degorgement (congelamento dos bicos para expulsar as leveduras que depositam no bico da garrafa) foi feito garrafa por garrafa manualmente, assim como os melhores Espumantes vendidos no planeta. No momento da adição do Licor de expedição, que é basicamente a 3ª fermentação da cerveja para deixar uma carbonatação interessante, optou-se por não inserir nenhum tipo de líquido "açucarado" como o de prache, e sim a prória cerveja. 


Falke Monasterium
Marco Falcone, (ja assentei ao lado dele numa van e apertei a mão dele duas vezes.LOL)o grande cervejeiro que não brinca em serviço, criou essa breja é uma maravilha. Uma cerveja Ale, estilo Belga de Abadia, refermentada na própria garrafa, que utiliza em sua receita malte de cevada, malte de trigo e aveia. Apresenta aromas complexos, frutados, especialmente os cítricos, espuma consistente e cor alaranjada turva.

Graduação alcoólica de 9% vol., é envasada em garrafas de champagne reserva e arrolhada como os espumantes.
Obs.: As características de aroma e sabor são melhor percebidas em torno de 8 graus celsius.


E se você quer alguma importada para impressionar, tem dica também.


dEUs Brut des Flandres
Essa cerveja é um mito. De uma leveza impressionante  com certeza impressionará os enólogos mais mais ortodoxos.
Dei CTRL+C e CTRL+V na descrição do Mauricio Beltramelli:
"Quatro palavras para definir essa maravilha: LEVEZA, BALANCEAMENTO, COMPLEXIDADE E SOFISTICAÇÃO. No sabor, floral, frutado, o álcool só se sente levemente na garganta. Sparkling, perlage maravilhoso. Fermento, madeira (carvalho), cítrico, erva-doce, vinho branco, manteiga, manjericão, sálvia e alecrim. Precisa dizer mais?(sic.)"


Samuel Adams Infinium

Os cervejeiros da Samuel trabalharam por dois anos na cervejaria mais antiga do mundo, Weihenstephan da Alemanha, para criar este estilo de cerveja novo e exclusivo. Fabricação inovadora, feito apenas com os quatro ingredientes tradicionais: malte de cevada, lúpulo, água e fermento. Infinium ™ é uma cerveja champagne-like nítidas com bolhas finas frutada e aroma picante. O caráter limpo do "crisp" malte e notas de frutas delicadas nesta cerveja são complementadas por um ligeiro sabor cítrico e dry hopping. Com o lúpulo da Bavária condicionado na garrafa acrescenta outra camada de complexidade e notas de especiarias.

Para não esticar muito este post, porque as dicas são muitas, eu procurei colocar aqui as mais acessíveis ou "encontráveis". No fim, o que vale é a animação e a confraternização com os amigos e familiares. Eu aproveito a "deixa" para listar qual tipo de cerveja combina com a comida da ceia.
Vale a pena dar uma lida sobre qual cerveja combina com a sua comida predileta.



De um modo geral, segue a super dica:


Cervejas leves acompanham comidas leves, enquanto cervejas mais fortes, intensas e encorpadas harmonizam melhor com comidas mais pesadas e gordurosas
Pense nas cervejas tipo Ales como Vinho Tinto e Lagers como Vinho Branco. Como as Ales são fermentadas em temperaturas mais altas, normalmente são de aromas e sabores mais complexos. Lagers, por serem fermentadas em temperaturas mais baixas, são normalmente mais leves, com aromas e sabores mais suaves. Outro comparativo válido é pensar em cervejas de alto amargor como se fossem vinhos bem ácidos ou com bastante tanino.
Quanto mais escura a cerveja, mais escura deve ser a comida da harmonização. Cervejas escuras recebem essa cor dos maltes escuros, que normalmente têm um sabor mais tostado e algumas vezes mais adocicado, que combina bem com os mesmos sabores das comidas bem assadas ou grelhadas.
Quanto mais picante for a comida, mais lupulada e amarga deve ser a cerveja. O lúpulo consegue cortar bem o efeito das pimentas, permitindo que você consiga sentir melhor os sabores tanto do prato quanto da cerveja.
Deixe que a região seja seu guia. Cervejas e comidas originárias da mesma região quase sempre funcionam bem juntas.
É importante ter atenção especial à sequência em que são servidas as cervejas. Se você planeja servir cervejas de diferentes estilos, prefira começar com as mais leves, tanto em sabores quanto em álcool, evoluindo para cervejas mais complexas e encorpadas no final. O mesmo vale para cervejas secas e doces. Comece pelas secas. O objetivo é que os sabores mais intensos não atrapalhem ou sobreponham os sabores mais leves e também evita que as pessoas sintam-se pesadas ou sonolentas logo no início da harmonização.


Feliz natal!!


fonte: brejas.com.br, minha mente doentia. 
fotos: reprodução



domingo, 11 de dezembro de 2011

Tendência: Cerveja em garrafa PET

Sei que o título ficou meio para site de moda, 
mas vamos ao assunto porque é interessante!

Já na copa do mundo na África do Sul o mundo conheceu as garrafas de plástico da Bud. Trata-se de uma garrafa dura que fazendo vista grossa até parece vidro. 
A novidade dessa tecnologia chamada Glaskin, desenvolvida pela Tetra Pak se baseia no sistema plasma de revestimento da parede interna da garrafa por uma camada de óxido de sílica, uma substância com morfologia semelhante ao vidro, sendo inerte ao produto envasado. As garrafas de 500 ml alcançaram um shelf-life de 6 meses, "que é o utilizado normalmente pela indústria cervejeira"

Ow ! Morfologia? Self-life? O papo ta cabeça pra "xuxu"

Porque as PETS's atuais não prestam para envase??
Ow meu camarada, para envase de cerveja não rola porque as PET's atuais possuem micro poros malditos, parente dos pôneis de algumas camionetes, que comprometem a qualidade. Ah poros malditos!
Esses famigerados invisíveis permitem a entrada do oxigênio que inicia a oxidação desandando a receita da sua cervejinha.

Cilene Saorin, sabuda da cerveja e gata
O lúpulo é o primeiro a sair da linha, por ser muito sistemático e qualquer alteração na vida dele ele faz beiçinho e altera o sabor e o aroma.

E isso não é balela não meu amigo, a própria Cilene Saorin, a qual nunca vi de perto, (mas gostaria) afirma que o oxigênio altera o gosto, aroma e a cor!

Moderfoquer oxigênio! ;-)

Esse tipo de coisa tambem é obra
do vamigerado oxigênio
O importante é achar uma solução que barateie a cerveja sem alterar o sabor. Os impostos sobre o álcool só tendem a subir, por isso as garrafas Pet's são as ideais para isso por facilitarem o transporte e o armazenamento. Muitos são contra essas novidades, mas elas são inevitáveis. É possível que na copa de 2014, aqui no Brasil a FIFA que venceu a queda de braço com o Brasil no quesito bebidas nos estádios, apareça com essa novidade nos nossos campos de futebol.

Mas não importa a embalagem, os fabricantes garantem: a cerva que está lá dentro é sempre a mesma. Por isso existe uma grande "lenda" com relação ao sabor em determinadas embalagens e/ou marcas. Já ouvi coisas do tipo, tal cerveja é ruim, mas em lata ela é boa. Pode ter certeza meu camarada, que se a cerveja chega alterada no seu copo, pode desconfiar. Validade, condições, armazenamento e condicionamento. Se liga ô meu!


PEDIU GENTILMENTE E CON$$EGUIU 
Vamos aos tipos de envase


Tradicionais

Com 600 a 660 mililitros de cerveja, são as mais antigas. Em países como a Argentina e recentemente no Brasil há garrafões de até 1 litro(os famosos Li-traço). Essas embalagens são mais econômicas porque, além do volume maior, são retornáveis - depois de esvaziadas, voltam às fábricas, onde são novamente enchidas. A cor marrom das garrafas age como um filtro solar que protege a cerveja da luz

Pescoçudas

Assim como as latas, as embalagens long neck servem para consum o individual. Têm de 300 a 330 mililitros, são descartáveis e recicláveis. Mas cuidado com as garrafas transparentes, pois a cerveja é sensível à luz. O lúpulo, um de seus ingredientes, se transforma em substância de gosto indesejável quando exposto ao sol ou a luzes artificiais muito fortes

Geladíssimas

As latas de alumínio têm a seu favor o fato de serem recicláveis e impermeáveis a gases. E o metal conduz melhor o calor - por isso, as latas gelam mais rápido que as garrafas. Como a luz não penetra na embalagem, há menos alteração de sabor. Isso ajuda a explicar por que consumidores de algumas marcas preferem a versão enlatada


Sacou aê fiii!


fonte: Mundo Estranho, UNICAMP, FERG, minha mente doentia...
Fotos: reprodução

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Uma boa noticia para nós, mineiros! - Amenindades

Quem participa do mercado cervejeiro, sabe as dificuldades de uma produção e venda do produto artesanal. Por isso qualquer sinal de "boa vontade" por parte das politicas que tanto atravancam aqueles que sonham em um dia viver da sua própria produção, é bem vinda.


PROJETO PREVÊ INCENTIVO À PRODUÇÃO DE CERVEJA ARTESANAL


O Projeto de Lei (PL) 1.208/11, que institui o Programa de Incentivo à Produção de Cervejas e Chopes Artesanais no Estado, teve parecer pela legalidade aprovado durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, nesta terça-feira (22/11/11). De autoria do deputado Gustavo Valadares (DEM), a proposição foi relatada pelo deputado André Quintão, que opinou favoravelmente, na forma do substitutivo n° 1.


Em justificativa, o autor afirmou que o mercado das cervejas e dos chopes artesanais encontra-se em expansão, e que o Estado de Minas Gerais já fabrica quase 500 mil litros do produto por mês.


De acordo com o projeto original, a Secretaria de Estado da Fazenda, com o intuito de efetivar o programa, ficaria autorizada a conceder tratamento tributário diferenciado às microcervejarias de crédito presumido, observados os termos e as condições previstos em regulamento, desde que tributadas pela alíquota máxima de 8% do ICMS que incidir nas saídas de cerveja e chope artesanal, produzidos pelo próprio estabelecimento.


Ainda de acordo com o projeto, o benefício do programa ficaria limitado à saída de 200 mil litros do produto por mês e abrangeria a parcela relativa ao imposto retido por substituição tributária. O projeto ainda esclarece que, para fins de aplicação da lei, será considerada microcervejaria a empresa cuja soma da produção anual de cerveja e chope não seja superior a 3 milhões de litros; e que cerveja ou chope artesanal é o produto elaborado a partir de sumo que contenha, no mínimo, 80% de cevada malteada ou extrato de malte, conforme registro do produto no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


Alterações - O substitutivo apresentado por Quintão passa a dispor sobre as medidas de incentivo à produção de cervejas e chopes artesanais. O novo texto sugerido mantém a concessão de incentivo fiscal às microcervejarias de crédito presumido, mas exclui a previsão de que essas empresas, para receberem o benefício, sejam tributadas pela alíquota máxima de 8% no ICMS, conforme previa o projeto original.


Outra alteração é a mudança do valor da produção anual de cerveja e chope para que a empresa seja considerada uma microcervejaria. Esse valor, de acordo com o substitutivo, passa de 3 para 5 milhões de litros. Por fim, o substitutivo prevê que as medidas de incentivo à produção da cerveja artesanal poderão incluir a redução do ICMS que incidir na saída dos produtos.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Cerveja Duff

A TÃO FALADA DUFF


Confesso que eu já "gastei a sola te procurando" (quem é de João Monlevade, já viu essa expressão) atrás dessa cerveja. Procurei pracas. 
Na Argentina vi vários "Carrefours" propagandeando a presença dela, mas quando eu chegava lá para comprar, ouvia a maravilhosa expressão: Tem, mas  acabou. WTF!!! 
E eu pensava: arrentino de mierda!

Mas agora meu coração enche de esperança, pois foi propagandeado pelo Estadão, causando um verdadeiro bafafá no meio dos chamados "Cervejeiros Matreiros" porque surgiu no mercado tupiniquim quiçá, mas only in Sunpaulo, a lendária cerveja Duff. A preferida de Springfield. A razão de viver do Hommer Simpsons

Vejam a matéria na integra no Estadão.
Com mapa e tals.

Como eu sou um típico típico mineirim típico, fico aqui na precisância de algum cara que conhece cara que conhece algum cara em Sampa City para comprar uma(s) e enviar para mim. Filantropia ou a cobrar. 
Quero camisas, garrafas, bonés, copos e afins!!

E pra finalizar, confesso:


Boa noite!




terça-feira, 15 de novembro de 2011

DRUMMOND E A CERVEJA - Amenidades e cultura

A CERVEJA DO CARLOS DRUMMOND ANDRADE


Esse texto meu foi apresentado pelo meu amigo Pedrin que escreve o blog trutaphotos, o qual você não pode deixar de visitar, e foi chupinhado do blog da abibliotecaderaquel, uma jornalista.

Engraçado imaginar qual seria a reação de Drummond hoje com a grande quantidade de rótulos, marcas, tipos e até copos diferentes disponíveis no mercado, uma vez que em 1974, quando ele publicou, resigna-se diante de 12 marcas??

Leia a crônica, vale a pena.

A DE SEMPRE
Carlos Drummond de Andrade

PARA QUEM NÃO CONHECE, DRUMMOND É O DE JAQUETA DOURADA


— Até beber cerveja ficou difícil — queixa-se.
— O preço?
— Não. A variedade. O embaras du choix.
— Mas se você já estava acostumado com uma...
— E as novas que aparecem? Em cada Estado surge uma fábrica, se não surgem duas. Cada qual oferecendo diversas qualidades. Você senta no bar de sua eleição, um velho bar onde até as cadeiras conhecem o seu corpo, a sua maneira de sentar e de beber. Pede uma cervejinha, simplesmente. Não precisa dizer o nome. Aquela que há anos o garçom lhe traz sem necessidade de perguntar, pois há anos você optou por uma das duas marcas tradicionais, e daí não sai. Bem, você pede a cervejinha inominada, e o garçom não se mexe. Fica olhando pra sua cara, à espera de definição. Você olha para cara dele, como quem diz: Quê que há, rapaz? Então ele emite um som: Qual? Você pensa que não ouviu direito, franze a testa, num esforço de captação: qual o quê? Qual a marca, doutor? Temos essa, aquela, aquela outra, mais outra, e outra, e outras mais. . Desfia o rosário, e você de boca aberta: Como? Ele está pensando que eu vou beber elas todas? Acha que sou principiante em busca de aventura? Quer me gozar? Nada disso. O garçom explica, meio encabulado, que a casa dispõe de 12 marcas de cerveja nacional, fora as estrangeiras, sofisticadas, e ele tem ordem de cantar os nomes pra freguesia. Até pra mim, Leovigil? pergunto. Bem, o patrão disse que eu tenho de oferecer as marcas pra todo mundo, as novas cervejas têm de ser promovidas. Não mandou abrir exceção pra ninguém, eu é que, em atenção ao doutor, fiquei calado, esperando a dica... Não quis forçar a barra, desculpe.
— E aí?
— Aí eu disse que não havia o que desculpar, ordens são ordens e eu não sou de infringir regulamentos. Os regulamentos é que infringem a minha paz, freqüentemente. Mas para não dar o braço a torcer, nem me declarar vencido pela competição das cervejas, concluí: Leovigil, traga a de sempre.
— Não quis dizer o nome?
— Não. Minha marca de cerveja — "minha garrafa", digamos assim, pois a individualidade começa pela garrafa — passou a chamar-se "a de sempre". Não gosto de mudar as estruturas sem justa causa, nem me interessa dançar de provador de cerveja, entende?
— Mas que custa experimentar, homem de Deus?
— Só por experimentar, acho frívolo. Os moços, sim, não encontraram ainda sua definição, em matéria de cerveja e de entendimento do mundo. Saltam de uma para outra fruição, tomam pileques de ideologias coloridas, do vermelho ao negro, passando pelo róseo, pelo alaranjado e pelo furta-cor. Mas depois de certa idade, e de certa experiência de bebedor, você já sabe o que quer, ou antes, o que não quer. Principalmente o que não quer. E é isso que os outros querem que você queira. Tá compreendendo?
— Mais ou menos.
— Na verdade, não há muitas espécies de cerveja, no mundo das idéias. Mas os rótulos perturbam. Uns aparecem com mulher nua, insinuando que o gosto é mais capitoso. Bem, até agora não vi rótulo de cerveja mostrando mulher com tudo de fora, mas deve haver. Mulher se oferecendo está em tudo que é produto industrial, por que não estaria nos sistemas de organização social, como bonificação?
— Você está divagando.
— Estou. Divagar é uma forma de transformar pensamentos em nuvem ou em fumaça de cigarro, fazendo com que eles circulem por aí.
— Ou se percam.
— E se percam. Exatamente. 0 importante não é beber cerveja, é ter a ilusão de que nossa cerveja é a única que presta. 

Sujeito mais conservador! Ou sábio, quem sabe?


Texto extraído do livro “De notícias & não notícias faz-se a crônica”, Livraria José Olympio Editora – Rio de Janeiro, 1974, pág. 137.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O PODER DA CERVEJA! - amenidades

Para encerrar as discussões sobre se a cerveja faz ou não bem para saúde, resolvi mostrar o verdadeiro poder da cerveja.
Basta empurrar o copo da esquerda para direita com o mouse.
CLICK: PODER DESSE SUCO DE CEVADA


O sujeito está num bar, bebendo cerveja. A cada copo bebido, tira uma foto do bolso e contempla-a.

Depois da sexta cerveja, o barman, pergunta-lhe porque faz aquilo. O homem responde que é a foto da esposa, e que, quando começar achá-la sexy, irá para casa.

Agora fez sentido. 
Abrat's e logo teremos novos post's

terça-feira, 18 de outubro de 2011

TUMULT - A loira das Arabias!




"A Coca-Cola quer lançar uma nova marca de cerveja voltada principalmente para os jovens profissionais, trintões e pessoas com estilo". Isso na definição da própria Coca-Cola camaradas. Eu não tenho nada a ver com essa balela.


O nome da breja é “Tumult” e trata-se de uma cerveja no estilo sem “álcool” (arght!!), e sem entrar nas discusões de que cerveja totalmente sem álcool não existe, a grande novidade dessa maravilha deve-se ao fato de existir duas versões ou dois sabores. 
Uma maltada e outra levemente frutada e com uma razão de existir. A maltada para menininhos (acima de 18) e a frutada para as moçoilas (acima de 18 anos) anos. Isso segundo o fabricante, por isso me inclua fora dessa balela.Mas como o dito fabricante é famoso por não dar ponto sem nó esperemos um tempo para ver "qualéqueé", para só então descer a lenha, ou não.


Lançada no restaurante gourmet Thoumieux, do famoso chef Jean-François Piège do qual eu eu nunca vi ouvi falar, o qual cita que essa cerveja é destinada a uma clientela mais fina (ui) e para os que amam a verdadeira cozinha francesa. Esse papinho não me pega nao.


O que eu apurei de fato, é que a Coca de olho no mercado árabe quer fazer concorrência contra as cervejas do tipo Fayrouz (que é da Heineken, na Tunisia), a Sultan (da cervejaria Kriek, da Belgica)  e a Moussy que possue o selo “halal” ( significa = permitido para consumo) podendo ser consumido por qualquer mulçumano praticante ou não, filiado a algum partido-religioso-político. 
O halal é dado por um ihman cheio de "salamaleques" que não libera o selo fácil, mas quando liberar para Coca o certificado "alimento halal" a Tumult poderá ser vendida na Arábia Saudita, Turquia, Emirados Árabes, Argélia, Nigéria,etc, além das grandes comunidades mulçumanas por toda Europa, para alegria ou tristeza dos nossos confrades que curtem a túnica como indumentária e enchendo os cofrinhos da Coca fazendo a alegria da família Cola.


Como eu disse, a Coca não dá ponto sem nó, como diz aqui pelas Gerais, e o mercado desse tipo de cerveja cresceu de 8% para 15% só na Europa, isso devido a campanhas anti álcool e a política cada vez mais rígida sobre segurança rodoviária. Na república Tcheca, aonde os espertos confrades cervejeiros não aceitavam essa de cerveja sem álcool é boa, esse mercado cresceu 3%.


É nesse oceano de malte "não alcoólico" que Coca-Cola planeja essa onda. Não conte comigo para surfar nessa praia e pra mim no fundo no fundo d'alma eu acho que a Coca tá querendo arrumar Tumult LOL!!!






Fotos: reprodução
Fonte: interpretação minha de notícias chupinhadas da net (crianças, não tentem fazer isso em casa)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

PASSO A PASSO DA FABRICAÇÃO DA CERVEJA


TUDO O QUE VOCÊ GOSTARIA DE SABER SOBRE CERVEJA MAS QUE NUNCA TEVE CORAGEM DE PERGUNTAR

Assisti esse video que foi compartilhado pelo amigo Juliano do Rima dos Sabores. Muito boa reportagem, bem completa. 
Depois dessa reportagem posso até aposentar meu blog...he he he he.
Abram uma #cervejadeverdade e degustem, essa belezura de reportagem feita na micro super big cervejaria Bierland.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Irish Car Bomb - Crianças, não façam isso em casa.

SUBMARINO:
stanheguer AND cerveja
JAMAIS DARÁ CERTO
Outro dia na casa do meu grande amigo Luiz, ele me apresentou o que até então uma novidade: Irish Car Bomb! Uh tererê, quem não aguenta que beba leite!


Vamos ao ocorrido. Lá na casa do Luiz ele me apareceu com uma lata de Guiness e uma garrafa de Jack Daniels acompanhado por um pint da Guiness. Veio com uma historinha e cheio de malemolência e com um remelexo que só o povo de Itabira possui, preparou essa belezura.


A bebida é semelhante ao famoso Submarino. Aquela mistureba de cerveja com stanheguer (para quem não sabe stanheguer é uma bebida inventada pelo próprio capeta, feita de zimbro um arbusto europeu) e cujos os efeitos colaterais são variados (nunca foi registrado nenhum benéficos).



Trem bão viu? Hoje eu sou um grande bebedor desse tal "iri-shi-kar-bombi" que é muito melhor do que chupar manga verde, tomando danoninho com pinga ao som do cd do Wando. Larguei meu vicio antigo e agora estou nessa do irishi, afinal estou cada vez mais me torno um cara sofisticado.


Fui avisado que so daria certo com Jack o que me veio a seguinte pergunta: Mestre Pai Mei, porque se mistura uma cerveja irlandesa com um whisky americano?


E ele me respondeu...Quando fazemos referencia ao Blend Schotch Wisky, estamos referindo a bebida feita a partir de uma "receita" escocesa. Mas quando é agregado a bebida um "e"(wiskey) estamos referindo a uma bebida irlandesa, aonde o blend é triplamente destilado. Sem muitas delongas o que ocorre que é que o tal triplamente destilado deixa a "bebida mais suave na boca com notas especiais sutis e com sabores oleosos que remetem a sementes de linho e sabor do couro" By Sebastián Bossi, um sabudo do assunto. Você não é obrigado a concordar com isso.


Então senhores o macete dado pelo meu amigo faz sentido, porque é juntar bebidas no minimo "conterrâneas"


Mas fazendo uma busca na net, arrumei a receita original do Irish Car Bomb, o que não tirou o charme da que me foi inicialmente apresentada e qual já repeti em minha casa varias vezes. 
Como cultura, dinheiro, vida boa e ficar fazendo apenas o que gosta, não faz mal a ninguém, vamos as informações. 
Acredita-se que o Irish Car Bom foi inventado em 1979, em pleno St. Patrick’s Day, por Charles Burke Cronin Oat. Foi uma variação de outra bebida que ele inventou, conhecida como “Grandfather” – feita com Bailey’s e Kahlúa. Depois de perceber que algo estava faltando, Charles Burke acrescentou um pouco de Jameson(outro whiskey), e assim que surgiu uma espuma que parecia uma explosão, decidiu batizar a bebida de “IRA” em homenagem ao Irish Republican Army.
Dois anos mais tarde, enquanto ele e alguns amigos tomavam doses de IRA’s e cervejas Guinness, Charles Burke Cronin reinventou sua receita mais uma vez, jogando sua dose de Bailey’s e Jameson em seu pint de Guinness, e, simultaneamente dizendo “Bombs Away “. E assim, surgiu o Irish Car Bomb.

A maneira mais popular de tomar é assim: coloque o copo de shot de Bailey’s e Jameson dentro do pint de Guinness , e beba imediatamente. Assim que o copo do shot chega no fundo do pint, a cerveja começa a criar muita espuma. Isso significa que você deve tomar toda a mistura de uma vez só! No outro dia quando você se levantar, recompor e cair em si, entre aqui e comente o que aconteceu.


Resumindo, vamos à receita tradicional:

Irish Car Bomb – Tradicional
Você vai precisar de:
3/4 pint Guinness stout
1/2 shot de Bailey’s Irish cream
1/2 shot de Jameson Irish whiskey
Como preparar: misture as doses de Bailey’s e Jameson em um copo de shot, servindo o irish cream primeiro. Sirva os 3/4 de Guinness em um pint, ou uma caneca de chopp, e espere a cerveja “acalmar”. Coloque o copo de shot dentro da Guinness e mande tudo pra dentro! Vale lembrar que o Irish Car Bomb deve ser bebido rapidamente. Se você demorar muito, a mistura vai talhar e o gosto não será agradável.






Fonte: http://www.irishcarbomb.com.br/2011/03/24/irish-car-bomb/, casa do Luis, revista Cielos Argentinos e minha mente doentia
Fotos: reprodução

domingo, 21 de agosto de 2011

Kirin, que era ruim pode piorar - Kirin parte III

Um tanto quanto satisfeito com as noticias sobre a compra da Xixicari..ops!...da Schin pela Kirin, resolvi persquisar a respeito dessa cervejaria que é considerada a skol da asia. Domina todo lado oriental, passado por Singapura e chegando até a Australia


Cheguei a comprar uma Kirin Ichiban no estranho estilo de "Japanese Rice Larger" (Larger Japonesa de arroz) para provar, e confesso que achei ela bem superior as nossas bcb's. Confesso que entre as nossas "nossas" de milho e as Kirin (cerveja confessa) de arroz, prefiro os olhos puxados. Não que essa cerveja seja um cervejão, mas tem atributos que fazem dela melhor cerveja do que as nossas de massa. 


Mas nem tudo poderia tem que ser perfeito. Chafurdando na net a respeito da cerveja, e la pela pagina "40etantas" do google, me deparei com algo no minimo bizarro: KIRIN ICE!


A cervejaria garante diante de todos os samurais montados em seus respectivos Kirin que o sabor não é alterado após a adição de gelo e que muito pelo contrario, a adição de gelo melhora não so o aroma como o sabor. MEDO! 


Bom, eu nunca fui um excelente aluno na escola, mas a vida, a minha bela bem vivida vida me ensinou que qualquer coisa que se acrescente água, fica aguada, mas como os Japoneses são danadinhos para inventar as coisas, e que desde 1970 eu vi nos filmes do Ultraman e Ultraseven um monte de seres alienígenas e afins, não é de surpreender que eles tenham inventado algum fermento/lupulo/malte que são ativados com gelo. 


Well, mesmo com medo eu quero experimentar esse negocio. Ainda mais que vem até com um videozinho que faz alusão a facilitar alguma coisa entre o homem e a mulher. Nao entendi bem o lance do video, mas se alguém falar japa, por favor me diz o que é. So entendi o: It's so cool...Será??










sábado, 6 de agosto de 2011

A lenda sobre o Kirin é real ?? - Kirin X Schin 1º ROUND


ARGHHHH!!!!!!
os irmãos José Augusto, Daniela e Gilberto Schincariol Junior acabam de conseguir na Justiça uma decisão liminar na ação cautelar que procura tornar inválida a venda da Schincariol para a Kirin. Ou seja, a venda da Schin anunciada na segunda-feira por 3,95 bilhões de reais, está suspensa integralmente.A alegação de Daneila, José Augusto e Gilberto – através do advogado Roberto Teixeira – é a de que seus primos Adriano e Alexandre, detentores de 50,55% da empresa, não observaram o direito de preferência que consta no acordo de acionistas. Por ele, a Schin deveria ter sido oferecida antes ao trio.A ação agora corre em segredo de Justiça em Itú. Agora, Adriano e Alexandre vão recorrer da decisão da juíza Juliana Bicudo. Este é apenas o primeiro de uma briga de muiotos rounds.
por Lauro Jardim, Veja Online


O que eu posso dizer que a lenda sobre o Kirin ganha força como eu profeticamente disse no post sobre o assunto: " 
É dito também que o Kirin só aparece em regiões que são governadas por pessoas benéficas ou virtuosas. Já vi que jamais teremos essa cerveja fabricada em solo Tupiniquim....
MEDO !! ;-)


sexta-feira, 5 de agosto de 2011

DIA INTERNACIONAL DA CERVEJA

DIA 05/08 COMEMORA-SE O DIA
MUNDIAL DA CERVEJA.

APROVEITO AQUI MEU ESPAÇO PARA BRINDAS AOS AMIGOS E COLABORADORES QUE DE UM JEITO OU DE OUTRO AJUDAM NÃO SÓ À CULTURA CERVEJEIRA COMO NA DIVULGAÇÃO DO MEU MODESTO BLOG
UM BRINDE AOS MEUS AMIGOS


terça-feira, 2 de agosto de 2011

Kirin compra 50,45% da Schin - Uma boa notícia??


SÃO PAULO - A Kirin, tradicional fabricante japonesa de cerveja e refrigerantes, comprou 50,45% da Schincariol, segunda maior cervejaria do Brasil, por R$ 3,95 bilhões. A operação foi fechada hoje. Os sócios Adriano Schincariol, presidente da companhia brasileira, e seu irmão Alexandre Schincariol são os vendedores. O restante do capital (49,5%) continua nas mãos dos primos Gilberto e José Augusto Schincariol.
A Schincariol, segunda maior cervejaria do país, tem marcas como Nova Schin, Devassa Bem Loura, Glacial, Baden Baden e Eisenbahn. Além da cerveja, o grupo produz refrigerantes, sucos de frutas e água mineral.

A Kirin comprou no ano passado 14,7% do capital da Fraser & Neavedu, maior fabricante de bebidas de Cingapura, e também possui a marca Lion Nathan, da Austrália, e 48% da San Miguel Brewery, das Filipinas. Fonte: Uol
Ela não é fraca não! Fonte: eu mesmo

O que isso trará de bom para o mercado brasileiro e para nos cervejeiros matreiros é muito cedo de se avaliar. Mas vejo com bons olhos essa novidade e especulo se trará novas marcas para gente ou não. A cerveja Kirin não é todo má. Alguns espalham por aí que a cerveja é feita do arroz. É verdade, mas e daí? As nossas vem do milho oH pá!
De qualquer maneira eu dou as boas vindas e torço para que surjam sempre novas marcas, boas para uns e ruins para outros. Nós temos mercado para todos os gostos. 

Agora um pouco de cultura para você esticar o papo e tornar a saideira mais animada, além de impressionar a muguegada com sua sapiência.

E na saidera...:Sabe o que é Kirin?
O que é Kirin?

Kirins são Super-Cavalos modificados geneticamente através da magia antiga chinesa. É uma criatura encantadora por sua caridade, generosidade e grande respeito à vida. Ele é um protetor implacável a favor dos inocentes e puros de coração, cuspindo fogo entre outras habilidades que são contadas de conto pra conto. É muito difícil a aparição de um, pois ele só aparece para aqueles que tem respeito à vida o mesmo tanto quanto eles têm.
KIRIN
É dito também que o Kirin só aparece em regiões que são governadas por pessoas benéficas ou virtuosas. Já vi que montar num bicho desses vai ser dificil quiça ter essa cerveja fabricada em solo Tupiniquim.
Sofro demais!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Cerveja sem álcool. Impossível de existir, difícil de tomar

"Cerveja sem álcool é igual travesti. A aparência é igual, mas o conteúdo é bem diferente" 


Vamos começar pelo começo: O que define uma bebida como sendo cerveja? Vamos as definições sem muitos salamaleques

 

Wikipedia

A cerveja (do latim cerevĭsĭa, que por sua vez vem do gaélico) é uma bebida produzida a partir da fermentação de cereais, principalmente a cevada maltada

 

Dicionario Priberam

cerveja |â ou ê ou âi| 
s. f.
Bebida levemente alcoólica, feita de cevada e lúpulo.

Michaels
cerveja
cer.ve.ja
sf (lat cerevisia) Bebida alcoólica fermentada, feita de lúpulo e cevada ou outros cereais. C.-de-barbante: o mesmo quejinjibirra.

NÃO EXISTE MULHER FEIA
VCÊ BEBEU POUCO
Notem amigos que todas as definições para o outrora “pão liquido” possuem  palavra “alcoólica” ou mencionam a fermentação na sua definição.
Da mesma maneira que mulher feia não existe, cerveja 100% sem álcool também não. Qualquer receita de cerveja vai fermento que por consequência virará álcool. Ou seja, para bebida se tornar cerveja, tem que haver fermentação. E a fermentação gera álcool. Água, lúpulo e malte de cevada não fermentado é apenas um suco. Se trocar a água por leite, uma vitamina.

A cerveja sem álcool seria a bebida ideal para o verão. Leve, rica em minerais, fibras e proteínas de fácil assimilação pelo corpo humano e completamente sem açucar. Além do melhor: contém poucas calorias. 52Kcal(cerveja sem alccol) X 84kcal(limonada). Algumas cervejarias que fazem  propaganda ligadas ao consumo de cervejas sem álccol a pratica de esportes.

Compare calorias em 200 ml:
Cerveja sem álcool: 52 kcal
Limonada: 84 kcal
Cerveja pilsen: 84 kcal
Suco de maçã: 98 kcal
Refrigerante sabor cola: 122 kcal

 

Bom bionição, se é impossível criar cerveja sem álcool, porque temos tantas marcas disponiveis no mercado?  Por que de acordo com o Decreto 2.314/97 do Ministério da Agricultura em seu artigo 10º, parágrafo 1º que permite que cervejas com até 0,5% de álcool se se-auto-entitulem-se “sem álcool.

 

Coisas do Brasil.

 

Cerveja ditas sem álcool seriam até uma boa pedida, mas no paladar é uma cerveja desagradável e de sabor pronunciado do mosto causado principalmente a interrupção prematura da fermentação.

 

Por isso meus caros amigos CUIDADO. Se vc tem problema de saúde e acha que as male DITAS cervejas sem álcool são a solucionática para sua problemática, você esta enganado. 


E vc motorista da rodada, que acha que vai passar a noite toda tomando sua nova schin sem álcool e passara a limpo pela blitz da lei seca, sua carteira de motorista esta correndo risco falou? Depois não diga que eu não avisei.

 

Finalizando, chupinhei um teste cego de cervejas sem álcool (arght!) do Brejas e coloco aqui. Fiz isso porque avaliar cerveja sem álcool não é comigo não ! Como diz no Brejas, mato minha tiabisavó para faltar a esse evento


Vamos lá. Palmas para esses heróis que fizeram esse comparativo. Lembrando que a nota máxima é 5

 

·         CRYSTAL SEM ÁLCOOL - Clara e com pouco creme. Provoca uma sensação viva na boca, refrescante, mas enjoa logo. Milho e outros cereais não-malteados no sabor. Aroma doce. Sem lúpulo perceptível, a cerveja é desequilibrada no conjunto. No ranking Brejas ficou com a nota 1,20.
·         KRONENBIER - Até que surpreendeu. Aroma lupulado mas com toques sulfídricos (ovo), e o sabor é amargo. Carbonatação média, deixa uma sensação de refrescância na boca. No conjunto, transmitiu a impressão bem próxima de uma uma cerveja de verdade, merecendo alguns pontos por isso. Leva nota 1,50.
·         NOVA SCHIN SEM ÁLCOOL - Sabe aquela sopa que se toma quando está de regime? Com abóbora, repolho e chuchu? Esse é o sabor desta breja, doce como doce de batata doce (aqueles com forma de coração). Brincadeiras à parte, notamos muito cereal não-malteado. Seu creme é bonito, branco e denso. Mas ela é doce demais, com final levemente amargo e nada de lúpulo. Nota 1,27.
·         BAVARIA SEM ÁLCOOL - Quase sem creme. Fraco aroma de ferrugem. O sabor também é extremamente fraco, quase inexistente. Uma cerveja que entra em campo pra não jogar. Alguns de nós sentiram levíssima sugestão de cereais não-malteados, com retrogosto de xarope de criança. Por W.O., fica com a nota 1,10.
·         WARSTEINER PREMIUM FRESH - Desequilibrada, com excessiva presença de mosto de malte. Na degustação com os confrades, encontramos até doce de batata doce no sabor. Nada de lúpulo para quebrar um pouco os excessos. O final é levemente salgado. Nota 1,10.
·         ITAIPAVA SEM ÁLCOOL - O creme é bonito e duradouro, com bolhas pequenas. Mas as boas notícias páram por aí. No aroma e no paladar, é bastante desagradável. Melhor parar por aqui e dar a nota 0,90.
·         LIBER - A única que apresenta creme denso e de pouca duração. Tem um sabor leve e estranho de fruta passada parecido com fruta do conde (ou, para alguns de nós, de piña colada). Seu aroma é cítrico e sem lúpulo. Percebe-se um malte, mas de uma maneira pouco agradável. Leva nota 0,85, a menor do comparativo.
·         ERDINGER WEISSBIER ALKOHOLFREI - Bom creme denso e consistente. Aroma de malte, assim como o sabor, aliado a um amargor que equilibra bem o conjunto. Suave, sem retrogosto pesado. Faltam o lúpulo e principalmente o trigo, que seria de se esperar de cervejas do estilo, mas foi a breja que mais agradou (ou, melhor dizendo, a que menos desagradou) os Confrades do BREJAS, obtendo a nota1,67, a maior do teste.
Fotos: reprodução

Após ler esse post, leia esse topico para você entender mais sobre CERVEJA DESALCOOLIZADA