segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

FIM DE ANO


"O mar de Minas é no céu, prô mundo olhar para cima e navegar, sem nunca ter um porto para chegar" Autor desconhecido




Planos e mais planos para o ano que vem, preparativos para mudar a cara do meu blog me fizeram dar um tempo nas escreveções por aqui. É certo que nesse tempo acumulei um bolão de articulos para não acontecer esse apagão como esse que teve.
Confesso que mais forte que esses planos foi a "crise existencial" que tenho vivido. Tipo uma menopausa masculina que por mais que eu viajasse eu não conseguia desembarcar de mim mesmo e isso travou tudo.

Mas como orgulhosamente mineiro que sou, já esta na hora de sacudir a poeira, pegar minha matula e seguir viagem porque assim que tem que ser. Nessa matula eu tenho certeza que levo tudo o que preciso para mim e para você.

Escrevo esse post fazendo meu "mea culpa" e aproveito para desejar a todos BOAS FESTAS com muita comida da boa, cerveja "a gosto" e muitas alegrias, and juízo e respeito ao próximo!

E como relembrar é viver segue minhas dicas:

A cerveja "Bunda do Papai Noel"

Cerveja e comidinhas natalinas


E NÃO SE ESQUEÇA...


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

CERVEJA IMBEBIVEL



Agora dediquei o post anterior aos bebedores da "que desce redonda", "numero 1" e afins vou confessar que de todas as citadas no post anterior existe sim PIORES.
Existe sim muita cerveja ruim pra bosk, algumas alcançam o patamar de imbebiveis, na minha classificação. Já verti goela a dentro exatos 756 rótulos (até 03/09/2013 as 19:29) diferentes e todos eles anotados em critérios definidos pelos princípios básicos da degustação, dentro de cada estilo, e mesmo assim afirmo que pouco sei sobre o mundo cervejeiro. Ja visitei um monte de cervejarias e participei de processos de fabricação do inicio ao fim e continuo ávido por mais sapiencia no assunto e porque ainda me acho um leigo nesse assunto. Por isso guardo para mim as minhas anotações e raramente abro meu bico. Você pode considerar este articulo como um mea culpa para o post "Degustar ou não" que é vai contra ao modismo de fazedores de cerveja e degustadores de araque e os falsos cervejologos que eu hoje classifico como verdadeiros "cervochatos" que sem base alguma falam besterias pagam um ar de biersomelier chegando ao cumulo de menosprezar o cidadão que gosta de uma “AMBEV”. Não existe essa profissão de "degustador", e Mestre Cervejeiro ou Biersomelier so se forma com muita cadeira de sala de aula, pratica e estudo. Jamais com visitas periodicas ao supermercado ou boteco.
"Conhecer cervejas" é diferente de entender do assunto.

Como eu tenho frizado, é muito importante conhecer o estilo que você esta bebendo para poder falar alguma coisa. E tem estilos e sub estilos para caramba. Dos 756 rótulos que eu experimentei abrangiam apenas 66 estilos, o que é mito triste porque nem sei aonde encontrar os outros. Afinal são mais 80 estilos! Dentro do que bebi, tive acertos, erros e com certeza eu não posso me considerar um expert. Mas já me ofendi um vez no mercado central de BH quando um "consultor" num empório, falou que a cerveja dEUs era acrescida de gaz para ficar parecida com chapagnne. Quase enforquei o maldito. Não por achar a dEus Brut des Flandres uma cerveja para se endeusar, mas pela grande asneira vomitada pelo cara com ares de sabichão e superioridade! Bom, mas voltando ao tópico existe cerveja imbebivel? 

Como ta muito no modismo, existem as cervejas artesanais as especiais e nacional e importada. Até hoje ninguem conseguiu me dar uma explicação convincente do que seria uma cerveja "especial" (prestatenção sacripanta: convincente) e o conceito de artesanal virou tão banal que perdeu o sentido. Ora, se o cara colocou a cerveja na prateleira do supermercado, com rotulo, CNPJ e consegue fabricar milhares de litros por dia, com certeza ela deixou de ser artesanal. Com certeza foram adicionados conservantes e outras quimicas até para atender a exigencia da lei. Para mim artesanal é aquela que o cara faz para consumo proprio e no maximo uma venda boca-a-boca (de preferencia clandestina). E especial, é especial desde que o mestre cervejeiro ou o fazedô resolva definir sua cerveja como especial. O resto é nacional ou importada.

Mas e as tal imbebiveis. Nessas "vindas e indas" em busca da cerveja perfeita, deparei com cervejas bem chumbregas quaLS destacarei abaixo. Todas cabeção, todas eu virei alegremente na pia, sem culpa, sem dor e sem arrependimento. Cervejas que so mesmo o Chuck Norris consegue beber, mas com certeza apos voce oferecer uma dessas cervejas para ele vai ganhar um belo "roundhouse kick". Entao meu caro, ao se deparar com uma dessas, fuja pras montanhas!

Eis-las, elas à-as!


Bruge Golden Ale 
Bruge Stout

Essas duas eu considero irmãs. Fruto da mesma cervejaria, mesmo processo e tal. Todas as duas tinham particulas em suspensão em grande quantidade. No fundo o fermento fazia um barro! Uma eca. Desquilibrada com um baita gosto de papelão. Parei de ver ela por aí antes de eu ter experimentado a Bruge thanks god. Thanks God! Ouvi boatos a boca pequena que pararam com a produção. Tiveram juízo!



Crystal Fusion Limão
Crystal Fusion Maracujá

Esse lance de cerveja SAL (Standard American Lager) misturado com aromatizantes e afins, JAMAIS dará certo. Fica um gosto de "ki-Suco" fiiiidazunha. Se quiser uma cerveja com sabor de fruto, tente uma estilo Lambic que é o estilo certo para quem gosta de fruta. 

Dos Equis (XX) Lager

Tenho birra dessa birra! Pow! A cerveja é tipo uma xixicariol com rotulo mexicano e CARA! Aparece nos filmes americanos. Uma cerveja de modinha a la Miami Vice. Na boca papelão, zero lupulo e agua. Alem de tudo é o pesadelo dos colecionadores de rotulos. Existem até debates de como despregar o maldito rotulo da Dos DAMM HELL Equis da garrafa. Eu desisti. Errei duas vezes e larguei mao. Nao vou ficar comprando essa porquera nao.


Fass
Encontrada nos rincões do Brasil ela tem um charme, paguei 0,99 na lata gelada em Carmopolis de Minas. Nao tem gosto de nada, só de agua. Bebendo se litros, entendera o nome...Fass da dor de cabeça, Fass da diarreia, Fass da ressaca maldita!


Green's Endeavour
Essa é uma cerveja natureba. O rotulo é assustador, porque é uma cerveja para quem tem alergia a gluten, cereais, amendoins, alcool, peixes e um monte de coisa. Ideal para caras que curtem a onda vegan. Para mim, se voce é alergio a esse tanto de coisa, nao deve tomar cerveja e sim remedio. Alias ela bem parece um remedio.






Palma Louca
Uma cerveja fabricada aqui e vendida na Inglaterra, Canadá e EUA. Não porque eu queria ter ela no Bar do Moita, mas WTF!??!!?? Por um lado é melhor que essa fique somente por la mesmo. O camarada deve ter tido a genial de ideia de sacanear os gringos. Um verdadeiro terrorismo tupiniquim ;-) - It's a joke FBI!!


El Bolson Cereza 
Coloco ela na mesma PARteleira das Fusion, com uma resalva: Esses caras tentaram fazer uma lambic! Comprei isso na cidade de El Bolson, no meio do deserto da Patagonia. Para susto meu, uma cidade menor que Nazareno tem no minimo umas 20 cervejarias. Deve ser porque para enviar qualquer tipo de suprimento para la, so de parquedas. Entao os "elbolsonenses" resolveram fabricar suas proprias ampolas. E como la tem cereja pra bosk....deserto, gente atoa, cabeça vazia, cereja...deu nisso! Se voce tiver caries nao beba. O nivel de açucar é incrivel. 

Hollandia
Onde fica Hollandia? Confesso que essa cerveja me traumatizou. Quando começei a me interessar no assunto do suco de cevada, me apareceu essa cerveja. Bebi de cara falei que era ruim. Mas fui na onda e uns e outros, sob agurmentação de que era boa e tals...comprei outra. ARGHT! Agua rala com lupulo artificial. Um treco esquisito. 
Um dia vi um cara enchendo o carrinho, porque estava em promoção eu quase fui impedir!

E foi assim!
Dessas, se for beber por favor me inclua fora dessa! Thanks

Nota do escrevedor: Se voce gosta de algumas dessas, vai fundo mermão. Se entupa delas.
Outra nota do escrevedor: Adicionei a minha vida como "pseudo-imbebivel" Brahma e Skol e cia Ltda. Mas se o cunho do evento for "fazer um social", abro bebo sem frescura e calado. Mas gostar do tipo gostarrrr, não forçe a amizade.



Ultima nota do escrevedor: Se você A-DOOO-RAA qualquer uma das cervejas acima e ficou "magoado" com meus comentários, tenho um recado para você


fonte: minha mente doentia
fotos: reprodução

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

UM BRINDE ÀS CERVEJAS DO BRASIL-zil-zil-zilL!!



A Outra, Antarctica, Antarctica SubZero, Bavaria Classica, Belco, Bohemia, Brahma, Brahma Fresh, Budweiser, Cintra, Crystal, Devassa Bem Loira, Ecobier, Fass, Glacial, Itaipava, Kaiser, Krill, Lokal Bier, Nova Schin, Original, Polar, Proibida, Santa Cerva, Schin, Skol, Skol360º, Sol, Summer Draft! 


Sera que esqueci de alguma??

Bom seu-boKa-de-golo maldito! Não adianta eu ficar falando de "Slowbier", movimento #bebamenosbebamelhor e quiçá #cervejadeverdade que você torcera o nariz sempre! Mas eu te respeito meu camarada, te entendo! Você vê como uma grande babaquice esse lance de cerveja especial, artesanal blá blá blá! Você um simplista que vislumbra como cenario perfeito, churras&cerveja gelada. Mas qual cerveja? 
TANU GELDADA, QUALQUER UMA É BOA!! 
Grita em coro os demais da mesma categoria!


SÓ É SACRIFICIO PARA ALGUNS
Ahhhh....como a vida boa pode ser realmente simples! mas te digo, te respeito, mas nao te admiro valeu? Eu so acredito, que beber nao pode ser nenhum sacrificio! E que gosto é igual CUtovelo, uns tem até mais de um.

Mas sem beiçinho, mimimis eu declaro que dedico esse post à você bebedor de "AMBEV" e que ajudam movimentar a economia do país e são tamém a alegria do milharal. 
Vamos lá!
Tentei listar acima todas as cervejas de massa de alcançe nacional conhecidas como "cervejas do tipo pilsen" e retirei as ditas de "premiun". Nao vou revelar a voces que essas cervejas não sao pilsen porque isso seria o mesmo que falar que Papai Noel nao existe e eu jamais varia isso com voce, minha pequena criança. As ampolas citadas acima são as maiores cervejarias do Brasil, mesmo que algumas tem alcançe regional regionais, são os fabricantes que investem pesado para crescem, em mídia, internet, logistica além de terem grana para crescer e crescem. Produzem uma cerveja de custo baixo e em grande volume para alegria da galera. Algumas quimicamente manipuladas e com baixo teor de malte e lupulo. Bebidas que se toma beeeeeeeeeeeem gelada e muitas vezes em quantidades desnecessarias.


FINAL meu caro conspícuo, o que elas tem de bom entao?

Primeiro: custo!
Segundo: a facilidade de encontrar
Terceiro: a padronização
e por ultimo: a capacidade de socialização! Afinal com uma garrafa de "Aecht Schlenkerla Rauchbier" dificilmente você conseguirá reunir uma turma para horas e horas de bebeção. Começa porque é dificil até de pedir a segunda ampola dela. E bebado então, não sai a pronuncia de maneira alguma.


Sem papinho de midia e tal, vamos ao fato: A cerveja do boteco aproxima as pessoas. Eu confesso que apesar de minha paixao pela cerveja bem feita, por estilos diferentes e etc, tenho meu boteco amado perto de casa aonde vou de chinelão. Até um principe como eu, tem seu momento de gato borralheiro. Lugar onde ja fiz negocios com gente que eu nunca tinha visto na vida. Ja ouvi choro, discuti futebol, formula 1, politica, globalização, guerras, final de BBB e assuntos quais sou leigo como astrofisica,
EU no boteco
psicologia, medicina e até cerveja. Aquele ambiente magico a gente se torna PhD em assuntos diversos e amenidades. Pego minha SerraMalte e ouço alguns falarem que a Itaipava é a melhor cerveja do mundo onde calado como um monge tibetano ao fim da explação da cerveja em questão profiro: "prefiro SerraMalte" e ponto final! E voltamos ao assunto futebolistico ou o nivel de "crocrancia" do torresmo que acabou de chegar!


Por isso encho o peito de digo: Viva o boteco!!!

Tim tim para todos ou para os cervochatos "proust"

Ah! Chafurdando na net, achei essa belezura de comercial da cerveja "A Outra" uma belezura:







terça-feira, 10 de setembro de 2013

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

CONCLUSÕES ALCOOLICAS DE UM BEBEDOR SÓBRIO

Para quem gosta de narrativas viscerais da melhor qualidade, sugiro que leia o blog do Pedro Bresson, um ENGO (você jamais saberá o que é isso) radicado na Zoropa aonde faz do continente inteiro um país unico com trocentas cervejas à disposição. Escreveu outro dia um post e eu estou chupinhando na maior cara de pau e 100% no estilo ctrl+C e ctrl+V. 

Pegue uma #cervejadeverdade e philosophe na conclusão do tal "Pedro".E para o "Pedro" digo: Não me processe! Vá lá em casa, moro no prédio que sua irmã mora ta ligado ne? Traga essa tal "Ombro de Macaco" que nos iremos discutir sobre direitos autorais, possíveis bonificações e divisão dos lucros que nossos blogs nos dão.

Vamos lá:

Tuesday, August 20, 2013
O Álcool, ou a falta dele, e a Sociedade
Saarbrücken (quanndo aqui vier vá na Gasthaus Zahn)

Por causa do post abaixo fiz uma promessa. Durante o intervalo da final, ainda 0x0 e o Galo nao jogando grandes coisas, sentenciei mentalmente: se ganharmos o título vou ficar 40 dias sem beber. Uma quaresma fora de época.
Ganhamos, como todo o Universo já está careca de saber, e estou cumprindo o prometido. Depois aumentei pra 42 dias, um pra cada ano sem o Atlético Mineiro ganhar um título importante. O primeiro, e único, foi o Brasileiro em 1971.

As últimas gotas de álcool vieram das latinhas, ou melhor, latoes frios de Brahma em frente a sede do Galo em Lourdes. Os 4,5% já nao faziam efeito algum. A adrenalina nao deixava.

O dia seguinte, uma quinta e ainda incrédulo, ocorreu sem bebidas. Nem no encontro fugaz com a cunhada, o cunhado, namorada e cia. no restaurante do ano, o 2013, resistiu. Poderia muito bem iniciar a promessa na sexta. Aliás, essa era a combinacao mental original. Enquanto eles bebiam coquetéis mirabolantes eu só olhava me sentindo um excluído.

Na sexta de manha a confusao do vôo cancelado e a remarcacao da volta via Guarulhos para o sábado a tarde me deram um dia a mais de Brasil. Agradeci os vouchers de taxi oferecidos pela Azul e me mandei de volta pra casa. Lucas me conta a boa notícia: ganhei de brinde uma festa de aniversário do tio querido, o Renato. Lá chegando me oferece um whisky. Ou mesmo uma cervejinha pra refrescar. Quem sabe um vinho português, aquele que eu adoro?! Nao tio, obrigado. Explico a promessa, ele sorri e diz: mas logo hoje?! Nao era pra eu estar aqui, e conto sobre a péssima manutencao das aeronaves celestes. Também, uma cia. aérea com esse nome nao poderia me transportar com o manto alvinegro.

No quinto ou sexto dia seguido vestindo uma camisa do Galo, incluindo a de 85 surrupiada do irmao com a desculpa de que "depois devolvo", parti pra Guarulhos de Azul. Normalmente em aeroportos procuro um pub ou restaurante e por lá fico. Bebendo e lendo um livro que trouxera ou acabara de comprar. Me sentei no bom restaurante cujo nome nao me lembro e o garcom pergunta se quero comemorar o título com uma caipirinha ou uma cerveja. Digo que ficarei no suco e seus olhos quase caem na mesa. Abstêmios se tornam sem educacao por natureza.

No aviao peco sempre uns dois ou três copos de vinho tinto acompanhando o jantar. Durmo antes da metade do primeiro filme. Dessa vez nao. Suco de laranja. Revira daqui e dali, mas dormir que é bom, nada. Na Suíca o passeio pelo freeshop foi uma tortura. Comprei os shampos que Ela encomendou, o creme para a pálpebra e chocolates na promocao. Depois fiquei ali olhando aqueles nomes tao familiares: Ardberg, Glenmorangie, Lagavulin, Laphroaig, Cardhu. Sem poder sorvê-los pareciam nomes de tribos celtas já extintas.

Já em casa na Alemanha, Ela me recebe aos beijos e abracos. O calor pede uma cerveja ou um bom branco alemao no jantar. Nada disso. Água ou suco. Sinto um olhar de aprovacao na promessa. Me sinto manco. Falta alguma coisa. Mesmo de banho tomado e vestindo roupas confortáveis sinto falta de algo. Visceralmente.

Após alguns dias comeco a me sentir melhor fisicamente. Mas psicologicamente nao me lembro de nada relevante que tenha acontecido. Nenhuma piada, discussao, encontro, zero. Adiciono exercicios aeróbicos a quaresma futebolística. Bicicleta, natacao e corridas. Comidas leves a noite. Frutas e iogurtes no meio das manhas e tardes. Emagreco facilmente. Ela gosta, embora comece a me estranhar. Me pergunta "quem é você?!"



Vem a primeira prova de fogo: um almoco na casa do amigo mais cachaceiro de todos. Ao saber ele provoca, me chama de boiola, diz que estou perdendo tempo e que o vinho tá ótimo. Masoquistamente, pego o copo dela e sinto o aroma. Realmente excelente. O gosto tá melhor ainda, retruca o sacripanta. Depois do almoco, whisky japonês. Aquele que os bons bebedores sabem qual é. Suntori, Hibiki ou Yamazaki. "Comprei naquela lojinha bacana que te falei", alfineta. Vejo-o em delírio profundo sentando no sofá rodando o copo nas maos. E eu com cara de paspalho tentando achar graca de mim mesmo. Me senti manco, agora mudo.

Ela pergunta se tá tudo bem. Diz que fiquei triste. E nos últimos dias tímido. Logo eu. Vamos em frente! Promessa é pra ser cumprida.

No final de semana seguinte, novas provacoes. Primeiro um almoco com o citado cachaceiro, Herr Bock, e o Luis na Altstadt. Justo num restaurante com Pilsner Urquell na bomba!!! Pedi suco de laranja (sic). Na saída, um passeio pela agradável tarde de sábado na cidade velha. Paramos onde?! Na Uerige Brauerei, a cervejaria de Altbier mais tradicional da cidade. Herr Bock é sádico por natureza. Fiquei olhando o vazio, falando pouco, gargalhadas só dos outros. Estou me adaptando, penso.

No dia seguinte, almoco com a turma. Outros dois cachaceiros adicionados ao grupo apenas pra me espezinhar. Mas me surpreendi com a reacao deles. Nada falaram, aceitaram respeitosamente minha situacao e pouco provocaram o pagador de promessas. Mais uma vez, suco de laranja enquanto copos de pils e altbier fluiam pela mesa com leveza.

Mas o pior ainda estava por vir. Encontro em Paris com o Emi Pê que passeava pela Europa. Chegamos na sexta a noite e cansados saímos pra beber alguma coisa. Na brasserie da esquina eu normalmente pediria uma cerveja. Ela nao quis beber e pediu um chá de menta. Resolvi acompanhar. Me senti um mulcumano numa mesquita parisiense. Nem sei se mulcumanos parisienses bebem chá de menta a noite, mas foi assim que me senti. Podem ser marroquinos também, tanto faz nesse caso. Eles adocam com mel?!

No sábado picnic em Versailles com direito a quitutes da Epicerie de Paris e vinhos tintos. Após insistentes pedidos, continuei no suco de laranja apesar da ocasiao pedir o contrário. A noite no restaurante que depois virou boate foi pior. Emi Pê e Chanel mandando ver nos tintos e as meninas na champa. Eu na água mineral. Com gás! Depois vieram os drinks e coquetéis. A turma ia se animando, comecando a dancar, fazer gracinhas, rir fácil. E eu lutando contra o sono. Balada sem bebida é uma merda. Foi aí que o Emi Pê contou do escocês que namorou a cunhada dele. Certa vez ele trouxe de presente uma garrafa do Monkey Shoulder, whisky venerado por vários branquelos de saiote. Nunca ouvi falar, respondi. E nao é que na prateleira do bar da boate tinha uma garrafa?! Ampola essa que nunca havia atravessado meu olhar. Ela olhou pra mim me seduzindo. Um copo vazio com apenas uma pedra de gelo repousava no balcao. Resisti bravamente a tentacao. Queria um café, mas nao tinha. Lutei contra o sono balancando o esqueleto enquanto o Emi Pê provocava um china dancando melhor do que ele. Cenas hilárias.

Hoje é o 27° dia sem beber e a promessa termina na quinta, 5 de Setembro. Serao 42 dias de desintoxicacao tentando ver a Vida por outra ótica. Percebendo o quanto somos dependentes do álcool. A única vantagem talvez seja poder dirigir sem preocupacao com blitz. Mesmo assim raspei o retrovisor do carro na parede saindo do estacionamento da boate em Paris e quase catei um meio-fio. Tava bêbado de água.

A bebida te inclui. Faz o individuo ser aceito no grupo. Ou discriminado e rechacado. Alivia as tensoes e diminui os problemas. Ou estes pelo menos sao esquecidos por uma tarde ou noite. A conversa flui leve e solta. As risadas saem naturalmente. O corpo responde automaticamente aos estímulos musicais. Fala-se alto. Bobagens e coisas importantes. Dizem que ficamos mais verdadeiros quando bêbados. Acho que eliminamos as máscaras e pudores. Amores nascem e morrem. Filhos sao feitos. Negócios comemorados. Títulos celebrados. Amizades fortalecidas. Momentos eternizados.

Ser sóbrio e sisudo demais nao faz bem a saúde. Voltarei em grande estilo bebendo menos, mas com mais qualidade ainda.

trutaphotos.blogspot.com.br

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

MAPA e o novo Tutty





O MAPA (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento) na terça feira passada, 21/08/2013 começou uma discussão sobre cerveja e o que o mercado tem para oferecer. Essa discussão é de suma importancia para o mercado das micro cervejarias e paras os artesanais da vida.
Há anos existe uma solicitação do mercado cervejeiro quanto a normatização e legalização do uso de ingredientes de origem animal (leite, mel por ex) e vegetal (ervas, frutas por ex) além de alguns "choros" sobre impostos e regime tarifario diferenciado para os pequenos produtores. Frutas, temperos, legumes, raízes e algumas gororobas são usadas no mundo inteiro há seculos e mesmo antes e depois da Lei da pureza. Cervejas espetaculosas que so podem ser comercializadas se fabricadas fora do país. Uma idiotice!
Sabemos que nós tupiniquins que somos, temos know how para fabricar e muito bom gosto para degustar. Essa norma chega tarde mas é essencial porque é sabido a boca pequena que muitos cervejeiros matreiros fabricam maravilhas com diversos tipos de "upgrades". Aqui perto de casa um caboclo bem afamado faz uma deliciosa cerveja a base de doce de leite, uma verdadeira sumpintude acima de qualquer quesito de supimtudidade.
Mas como nem tudo tende a ser perfeitamente perfeito, caiu de paraquedas nessa reunião um pedido das nossas cervejarias de massa que pode piorar o que é ruim. Foi pedido para reduzir o percentual de cevada, que ja são reles 55% para 50% permitindo que a cervejaria possa acrescentar cereais como milho e arroz. Quem concorda que isso é avacalhar mais ainda o que já é avacalhado da uma cambalhota!
Ainda bem que caras como o Marlos Vicenzi, chefe da divisão de bebidas do MAPA, deixa claro sua opinião quanto a essa diminuição da qualidade da cerveja. Prestençãocabeção no que o cara disse: "Algumas empresas estão reivindicando isso, porque diminuiria o custo da matéria-prima. A gente não vê justificativa para a necessidade. O texto vai ser encaminhado [para consulta pública] com esse teor, mas a gente sabe que algumas empresas vão solicitar a diminuição [da cevada maltada]. Só será aceito se houver justificativa técnica muito robusta" (sic.) Ele nao disse que é contra, mas para convencer ele vai ter que provar que vai melhorar assim.
Sorte nossa que o Tutthy Vasques (Estadão) e Rodrigo Constantino (Revista Veja - Conhecida em Minas como revista Óia) não são funcionarios pensantes e com poder de decisão no MAPA. Um é contra você ter à sua disposição uma infinitade de tipos de cerveja e outro camarada contra a legalização e normatização do mercado Brasileiro. Rodrigo meu amigo, falar que violência, infraestrutura é assunto do Ministerio da Agrigultura....afff! Quem bebeu foi você!(leia o artigo)
Outra coisa que estão discutindo é a regulamentação das cervejas ditas sem alcool. Da minha parte considero um erro a lei permitir que cervejas com até
0,5% de alcool sejam denomidadas "sem alcool", porque além de ser um risco contra a saúde de quem não pode ingerir alcool é uma cilada para o motorista da rodada. 
Mas como tudo no Brasil, esta previsto para entrar em vigor somente em 2015, tomara, oxalá quicá em 2016! Mas de qualquer maneira é um grande passo. O mercado de artesanal cresce horrores e ta mais do que na hora de colocar ordem na casa.
Tim tim! Prost e se for beber, me convide.
Inté
PROUST!!!



quarta-feira, 14 de agosto de 2013

O IMBECIL DA CERVEJA

Recebi esse texto de um amigo, ele foi publicado no "ESTADÃO" na coluna de humor(!?) escrita do dia 13 de agosto de 2013 as 6:52 da matina. Com certeza o cara acordou e estava sonolento com preguiça e salvo da tal criatividade que é inerente aos ditos humoristas.
Após uma enxurrada de comentarios, dois seres ilumindos opnaram e eu dou destaque ao Paulão, qual faço meu brinde!
Segue, na integra, abaixo:


O chato da cerveja

reproduçãoCom a chegada triunfal ao mercado brasileiro de uma infinita variedade de cervejas artesanais aditivadas de especiarias incomuns ao néctar, já existe por aí uma confraria de chatos muito parecida com a dos famosos degustadores de vinhos.
Gente que, logo no primeiro copo, observa a coloração, o aroma, o retro-gosto e a gaseificação da bebida que para a maioria dos mortais só precisa estar estupidamente gelada.
Quem pedir “uma cerveja, por favor” num boteco metido à besta corre o risco de ser submetido a um interrogatório sobre as inúmeras alternativas que o garçom – quando não o ‘sommellier de cervejas’ – tem a oferecer ao consumidor.
“De quê família aromática?”; “de baixa ou de alta fermentação?”; “com malte torrado ou dose extra de lúpulo?” “Pilsen com mandioca ou weiss com mel?”
O mais provável é que, constrangido, o pobre coitado que só quer refrescar a goela vá molhar o bico no ‘pé sujo’ mais próximo. Ou troque o pedido para “uma caipirinha”.


Enviado por: Paulo

Mas a culpa é das próprias mega-cervejarias, que depois que se juntaram passaram a produzir alguma coisa amarela, amarga e que deve se beber bem gelada para não sentir o sabor, ao invés de cerveja. E quem faz cerveja vende para quem conhece. Se é para tomar esses lixos aguados que estão aí, melhor um suco, já que pelo menos você sabe o que está tomando.
E essa tal InBev, que fez um grande monopólio, não duvido que já tenha ocorrido um papo assim lá dentro:
- Se colocarmos 15% de cocô de cavalo na fórmula da cerveja e reduzirmos em 10% a cevada, vamos ter uma redução de custo de 20%!
E o executivo responde:
- Vai acontecer o que com as vendas?
- Se mudarmos a nossa propaganda para que ela seja consumida sempre muito gelada, talvez até aumente agora no verão!
- Manda pau!
Pensaram que ele ia perguntar o que????
Tá entendido por que as cervejas artesanais começaram a fazer sucesso?


Enviado por: Paulão13/08/2013 - 14:49
Sobre o texto “O Chato da cerveja” publicado em sua coluna no Estadão.
Em primeiro lugar, existe sim este personagem habilmente detectado pela sua perspicácia.
No entanto, cabe uma comparação para apontar a causa do nascimento deste cidadão e sua eventual relevância no contexto alcóolico brasileiro..
Imaginemos, inicialmente, que não tratamos do produto cerveja. Digamos que nosso objeto de análise seja a vagina. Imagine, caro Tutty, que vc passou a vida inteira interagindo com o mesmo tipo de vagina, anos e anos a fio: cor, sabor, nível de depilação, configuração. Ok. Agora imagine que de uma hora pra outra vc descobre que há mais de 300 tipos de vagina no mundo, sendo que vc só conhecia um tipo. Naturalmente vc ficaria interessado em conhecer as novidades, certo? Eu ficaria!
Seguindo neste exercício de imaginação, suponhamos que exista um tipo de vagina com sabor de hortelã, outro com aroma de café, um com um alçapão liberador de morfina, outro com acesso direto ao ânus e ainda um outro feito para sadomasoquistas que contenha uma ratoeira dentro, para esmagar o pênis do usuário assim que ele penetre o orifício vaginal. Vc, usuário de vaginas heterodoxo, não apreciaria se alguém lhe desse detalhes sobre esta “peça” que pode lhe causar grande dano peniano? Então: o chato a quem vc se refere nada mais é que um sujeito bem informado sobre as novidades do mercado de vaginas, indicando qual destas novidades pode ser mais interessante para cada tipo de consumidor. De posse destas preciosas informações, o usuário de vaginas (ou cervejas) poderá escolher a que mais lhe interessa consumir ou ficar com a vagina (cerveja) já conhecida, com aquele velho gosto de xixi de gato.
Ajudei um pouco a compreender o que significa esta variedade de cervejas?
Terei sido desagradável? O chato da vagina, quem sabe?
Obrigado pela atenção
Paulão

CLAP CLAP CLAP CLAP!! UMA SALVA DE PALMAS PARA O PAULÃO PELA EXPLICAÇÃO LUDICA E SINGELA!!




Quem quiser ler na integra, vai la http://blogs.estadao.com.br/tutty/o-chato-da-cerveja/


quarta-feira, 17 de julho de 2013

PILULA DA SOBRIEDADE? O FIM DA LEI SECA?

Para Ana Luiza, minha afilhada cachaceira e doutora em burrologia, com carinho:

Os camaradas: 明燕,劉洋,杜娟娟,莫賢劉胡,周杰倫,韓慧,奧托陽,盛亮,魏煒,汪輝,李建民,朱新元,張林琦石,魏晨,鄭姬雲峰路 tambem conhecidos no mundo ocidental como Yang Liu, Juanjuan Du, Ming Yan, Mo Yin Lau, Jay Hu,Hui Han, Otto O.Yang, Sheng Liang, Wei Wei, Hui Wang, Jianmin Li, Xinyuan Zhu, Linqi Shi, Wei Chen, Cheng Ji & Yunfeng Lu, qual desafio qualquer um bêbado, com a boca cheia de farinha a falar o nome deles sem espirrar nada pra fora, estudaram, pesquisaram e descobriram as tais: 


ENZIMAS BIOMÉTICAS NANOCOMPLEXAS 


Não sabe o que é? Sao esses caras aqui da abaixo oh pá!





Satisfeito ou esta perguntando: WTF!!???


Não captou? Essa parada ai pode ser a solução para sua ressaca, para você poder tomar todas e dirigir para cima e para baixo e quiça, beber até explodir! Não é lindo??
Os camaradas supra citados estão desenvolvendo uma pilula para curar qualquer bebum a beira da morte. Seu corpo tem compartimentos celulares sofisticados que contêm enzimas que funcionam em conjunto. Estes compartimentos asseguram a transformação química e eficaz de transporte de moléculas, e na eliminação de resíduos metabólicos tóxicos seja passando pelo seu "figo", pela pele no suor ou no seu bafo de dragão de komodo. O desafio foi juntar duas ou mais enzimas e aprisionar num pequeno comprimido transformando numa única enzima nanocomplexa qual exibiu uma melhor eficiência catalítica e com estabilidade melhorada comparando com enzimas livres dando rolé no seu corpo. Além disso, as co-enzimas usadas exibiram funções complementares, aonde os intermediários tóxicos gerados por uma enzima foram prontamente eliminadas por uma outra enzima. Apareceu uma nova enzima na parada e eles finalmente descobriram como as enzimas se multiplicam: "uma enzima da outra"(eu precisava muito encaixar essa piada nesse texto). Melhor explicando, provaram que os nanocomplexos reduziram os níveis de álcool no sangue em ratos intoxicados, oferecendo um antídoto e uma alternativa profilática para a intoxicação por álcool.
Chorou de alegria né Dom Ratão?
Por enquanto esta tudo sendo testado, mas já se sabe que um rato quase em coma alcoólico foi recuperado em apenas 10 mim. Alguns testes foram feitos em cobaias humanas e até o fim desse texto eles nao tinha explodido ainda. 
O certo que esse remédio não pode ser usado na farra do boi garantido, carnavais, micaretas e churrascos por motivos óbvios né companheiro? Até porque excesso de liquido faz mal para seu corpo doidão!! Ou você quer ficar redondo? 
Mas aqui no Brasil a corriola do PT pode ter a genial ideia de lançar o bolsa goró, incluindo o tal remedinho!


fontes: www.nature.com; minha mente doentia
Fotos: reprodução




segunda-feira, 1 de julho de 2013

AS 10 CERVEJAS MAIS CONSUMIDAS NO MUNDO!

O ranking anual do The Drinks Business site gringo especialista em goró, publicou um estudo contendo as 10 cervejas mais bebidas no mundo. Por increça que parivel (trocadalho do carilho ne?) nossas tupiniquins debutaram entre elas mostrando a força das nossas cervejas de massa. Essa lista não corresponde as cervejas que eu gosto ou as que você gosta, mas solamente as mais vendidas em zigilhoes de litros. Por isso prestatenção e não me venha com argumentações do tipo: "logico que essa tal Snow vende mais, ela venda na china, terra com bilhoes de japoneses"! Beleza? Então sem churumelas e "mimimi" vamos a tal lista cabeção!

1º Snow Beer
País de origem: China 
Volume de vendas: 74,8 milhões de barris 


Você nunca deve ter ouvido falar e nem ter experimentado ou quiçá experimentará essa marca chinesa, mas pelo segundo ano consecutivo, o posto de cerveja mais consumida do mundo. Largamente adotada no país de origem, é fabricada pela CR Snow, associação entre SABMiller e China Resources Enterprises. Em 2011, o valor da marca saltou de 350 milhões de iuanes para 46,3 bilhões, tornando-se a 29ª mais valiosa do país. Mas venhamos e convenhamos, tem china para xuxu no mundo né?


2º Tsingtao
País de origem: China 
Volume: 57,9 milhões de barris 
CHUPA ESSA

Responsável por 15% do gigantesco mercado chinês, a Tsingtao nasceu em 1904. Hoje, a fabricante Tsingtao Brewery Company afirma que a bebida é o produto chinês mais exportado para o mundo inteiro. Depois de permanecer estatal por muitas décadas, foi privatizada nos anos 90, e chegou a ter capital da AB ImBev, que vendeu sua participação de 27% em 2009. Essa eu já bebi e nada de novo nessa cerveja. É uma "AMBEV" como todas as que figuram nessa lista.

3º Budweiser
País de origem: Estados Unidos
Volume: 40,4 milhões de barris

Ainda que não esteja no topo das mais consumidas no mundo, a Budweiser permanece a marca de cerveja mais internacionalmente reconhecida. Recém chegada a grandes marcados como o brasileiro e o chinês, o rótulo pode ser encontrado em 85 países. No Brasil, em seis meses de lançamento, a bebida conquistou 11,5% do mercado premium(??). Jamais será premium!

4º Yanjing
País de origem: China 
Volume: 39,6 milhões de barris 

Mais uma chinesa na lista, a Yanjing conquistou uma fatia de 11% do mercado nacional do país, mas é, de longe, a cerveja mais consumida na capital Pequim, com 85% da penetração. Como parte de sua tentativa de internacionalização, o rótulo iniciou em 2008 uma campanha de marketing voltada para o mercado externo, que incluiu o patrocínio oficial às Olimpíadas de Pequim.

5º Bud Light(ARGHT!)
País de origem: Estados Unidos
Volume: 36,7 milhões de barris

Ainda que a Bud Light seja a bebida mais popular nos Estados Unidos, a versão mais leve da Budweiser não tem o mesmo alcance global que a original. No ano passado, o mais novo lançamento da linha foi a Bud Light Platinum, uma versão de teor alcoólico 2% superior e que representou uma nova aposta da fabricante AB ImBev no segmento premium. Sou contra cerveja light, por isso não tem foto dela


6º Corona Extra
País de origem: México 
Volume: 31,6 milhões de barris 

O rótulo é líder no mercado do México, a marca de cerveja mais importada nos Estados Unidos e um dos produtos mexicanos mais reconhecidos no mundo. Nascida em 1925 e fabricada pelo Grupo Modelo, a bebida foi vendida à AB InBev e hoje é comercializada em 170 países. 



7º Skol
País de origem: Brasil 
Volume: 29.9 milhões de barris 

A primeira brasileira a entrar no ranking é a cerveja mais consumida no mercado nacional, com fatia de mercado de 30%. A Skol é também a 5ª marca mais valiosa do Brasil entre todos os setores, avaliada em 8,497 bilhões de reais em 2012, segundo estudo da consultoria Interbrand. Propriedade da empresa dinamarquesa Carlsberg, a bebida tem licença para ser fabricada no Brasil pela Ambev.

8º Heineken
País de origem: Holanda 
Volume: 29,1 milhões de barris 

Com forte presença mundial, é da Heineken o 8º lugar entre as cervejas mais consumidas. Quando o assunto é valor de marca, o rótulo apresentou uma queda de 8%, alcançando 6,058 bilhões de dólares em 2012 segundo relatório da consultoria Millward Brown. Presente em mais de 70 países, o rótulo é lider no mercado europeu. É umas da de massa queridinha minha apesar dos defeitos.



LIGHT? NÃO OBRIGADO
9º Coors Light
País de origem: Estados Unidos 
Volume: 25, 1 milhões de barris 

A cerveja de baixo teor alcoólico produzida pela Coors Brewing Company e é a segunda mais consumida do mercado americano. A estratégia foi investir no conceito “low carb” e destacar o valor nutricional e o número de calorias, ressaltado na embalagem. Segundo a marca, uma lata de Coors tem cerca de 5 gramas de carboidratos, contra 10 gramas da Bud Light.

10º Brahma
País de origem: Brasil 
Volume: 18,1 milhões 

A brasileira encerra o ranking com crescimento de 9,6% em volume comercializado em 2012, de acordo com o The Drinks Business. O levantamento ressalta, no entanto, que o segmento premium vem crescendo no Brasil, e isso pode ser refletir nos números futuros da bebida. Em termos de valor de marca no país, o rótulo ocupa o 7º lugar, avaliado em 5,088 bilhões de reais. Com esse dinheiro não da nem pra fazer uma copa no mundo do Brasil...Affff!!

fonte: Revista Exame Abril, minha mente doentia
fotos: reprodução





terça-feira, 25 de junho de 2013

TUMBAÍNA BREW



Como parte do meu ritual diário, levanto cedo e assisto o maximo de noticiários que eu consigo. Zapeio entre os canais fazendo uma especie de peneirada nas informações, exercitando meu senso critico, uma vez o físico ta muito bem, obrigado. Não doutor cardiologista, não estou falando com você
não!
Entre os assassinatos, obras super faturadas, passeatas e toda ordem de desgraceira cotidiana, deparei com a chamada do MGTV: "Quadrilha que falsificava cerveja é desmantelada na grande Beagá"!
LOL! Até quem fim uma noticia interessante!
No maior estilo "Tabajara Tupiniquim Brew", o processo de falsificação nada mais era do que pegar uma cerveja barata trocar o rotulo e a tampinha por uma mais cara. Simples! Em 2 minutos os caras conseguiam transformar uma Crystal em uma Brahma Extra! Simples assim!
Essa quadrilha vendia nada mais nada menos que 50 caixas de cerveja por dia! O que significa 1200 garrafas por dia cabeção! É muito nego que tomou Xixikariol pensando que era Skol! Pior que quando eu fui procurar o assunto na net e descobri que isso é a coisa corriqueira nos autos policias pelo Brasil afora.
Mas e agora José?? Assumiremos que gostamos de tomar Krill e seguiremos felizes? NÃÃÃÃOOO!
Temos que treinar nossos paladares para não deixar isso acontecer. Por isso eu tenho batido na tecla da degustação. É muito importante que você conheça o que esta bebendo e entenda do que a bebida
é feita. Conhecer os tipos, marcas, cervejarias,  rótulos e processos não é frescura! É categoria meu comprade! É você saber escolher entre tantas aquela que você esta com vontade de tomar independente do ambiente, harmonização ou palpites. Cerveja não é tudo igual nem depois do segundo gole, e se você pensa assim, melhor beber menos e beber melhor. Essa que "estando gelada qualquer uma é boa", é coisa de uma cultura quem não se importa em qualidade e isso tem que mudar.
Este post ficou meio chato mas é um alerta: Tem nego tomando Bels e pagando Red Label não é de hoje e agora devido a variedade de cervejas de massa Tumbaína Brew pode estar em plena atividade no seu copo sujo querido.
Comprando o famoso gato por lebre:





quarta-feira, 12 de junho de 2013

DIA DOS NAMORADOS SEM DESCULPA PARA TOMAR CERVEJA


Venho aqui com dicas para você que quer agradar sua muchacha ou então você coisa linda quer agradar o seu leproso, sim é assim que seu pai vê todo carinha matreiro que aproxima de você, e não bebe, eu calçado das tão afamadas sandalinhas da humildade venho com singelas dicas! 

Largue mão da manjada manjada almofada-coração de pelúcia vermelha com a inscrição “amor”! Velho isso não te pertence mais, a gigante cervejeira holandesa Heineken inovou com o Beer Gloss, ou seja, um gloss com sabor de cerveja e fragrância do lúpulo com leveza da "espuma” de uma breja de verdade, para que se aprecie uma Heineken diretamente dos lábios da namorada. Saca o video "cachorrão da boca preta"



Agora não toma cerveja, a coisa linda ou você seu leproso, por medo de ficar barrigudinho, tem a chance de tomar uma cerveja bacanuda sem o rotulo "lite", "light" e outras coisas que so remetem a falta de sabor, procure essa belezura:


Feita especialmente para quem gosta de cerveja, a Chick Beer é uma cerevja americana com apenas 97 calorias e low-carb que garantem um sabor encorpado e leve. Lógico que o rotulo e a embalagem foram produzidas tendo como publico alvo as mulheres, mas leprosinho fashion pode tomar tambem!


Mas se o caso for grave e a pessoa nao gostar do sabor da cerveja recomendo cervejas frutadas e para as mulheres as com sabor de chocolate. Isso mesmo minha cara pagã, creia, existe sim cerveja com sabor de chocolate. E não são poucas não, bastar da um google que você encontrará um montão com preços de R$ 10,00 até...já de R$ 60,00, mas não é limite não.

Se você for religioso, pode apelar para uma cerveja com o nome do santo:


Cerveja branca Valentim, a nova marca Premium de cerveja branca, que trás consigo um potencial extraordinário. De sabor forte e com turbidez de fermento característica, a cerveja oferece a maior qualidade. Com uma entrada de mercado intensa e uma apresentação Premium excelente irá, no mais breve intervalo de tempo, convencer também degustadores exigentes de cervejas brancas.
O Santo Valentim como concessor do nome, é o santo padroeiro dos amantes e da nossa cerveja. A sua popularidade irá lhe ajudar e nos ajudar a introduzir esta cerveja maravilhosa, com muito sucesso, no mercado.

MAS se o seu caso não é nenhum desses e você catilanga continua sozinha, já tentou avon, malhação, bisturi e necas, tente impressionar seus colegas tomando cerveja de uma maneira diferente! Isso vai lhe render alguma popularidade com certeza


Essas dicas são valiosas e que garantem seu dia dos namorados feliz! Ou quer receber flores de outra maneira? MORRA
Porque como diz a música "quem não gosta de cerveja, bom sujeito não é, ou é ruim da cabeça ou doente do pé" Não é isso mesmo?